CÁLCULOS NA VESÍCULA

De longe, a patologia mais comum envolvendo cálculos e a árvore biliar é a colelitíase. A presença de cálculos biliares é relativamente comum em adultos; estudos epidemiológicos e de investigação clínica demonstram uma incidência de litíase biliar em cerca de 20 a 30% da população, sendo que a grande maioria dos pacientes são assintomáticos. A litíase biliar é rara em crianças e apresenta marcado acréscimo na incidência após a 3ª década de vida. Cerca de 70% dos cálculos biliares são formados por colesterol e cálcio e aqueles de colesterol puro respondendo por uma pequena porção (<10%).

Cirurgia

Pode ser realizada segundo técnica aberta (convencional) ou videolaparoscópica. A colecistectomia por via aberta, que envolve uma incisão abdominal grande, é um procedimento seguro e efetivo. Quando esse procedimento é realizado de forma eletiva em um período sem complicações, a mortalidade global é de 0,1%.

Colecistectomia por videolaparoscopia tornou-se o procedimento de escolha. Usando videocirurgia e instrumentação através de pequenos orifícios, o procedimento é menos invasivo que uma cirurgia convencional. Permite um período de recuperação menor, reduzido desconforto pós-operatório e melhores resultados estéticos, sem aumentar a morbidade ou mortalidade.

A cirurgia é realizada com anestesia geral e o paciente geralmente tem alta para casa no dia seguinte. A colecistectomia não resulta em qualquer tipo de problema nutricional e não há qualquer restrição alimentar após o procedimento.